No primeiro contato, o Pilates pode parecer uma atividade física bastante fácil de ser realizada, já que os movimentos são tranquilos e adaptados às necessidades de cada praticante.

No entanto, logo nas primeiras aulas já é possível entender que o Pilates é muito mais complexo do que acreditamos, uma vez que mexe tanto com o corpo quanto com o nosso poder de concentração.

A seguir, vamos listar os princípios básicos do Pilates para que você domine a metodologia em poucos passos.

1 – Concentração

O estado mental do aluno também impacta diretamente no desempenho da prática do Pilates. Alguns especialistas dizem que esse principal é responsável por 50% do método, uma vez que todos os outros princípios precisam da concentração para serem colocados em prática.

Sem foco na atividade que está sendo executada não é possível realizar os movimentos corretamente e desenvolver a consciência corporal. No Pilates, a mente guia o corpo.

2 –  Centralização (Power House)

O Centro de Força do Pilates compreende um conjunto de músculos responsáveis pela sustentação da coluna. Ao realizar qualquer postura no Pilates, a Power House deve estar ativada: abdômen, assoalho pélvico, eretores profundos da coluna e quadril.

3  – Respiração

No Pilates, a respiração deve estar sempre coordenada com o movimento para que os músculos do abdômen e do assoalho pélvico sejam ativados da maneira correta. Quando respiramos errado, o corpo fica desalinhado e os exercícios não são executados como deveriam.

4 – Fluidez

Realizar movimentos precisos, no entanto, não significa que o Pilates deve ser praticado por robôs. A leveza e a fluidez são necessárias para que os movimentos sejam completos e o corpo e a mente obtenham todos os benefícios que o Pilates pode gerar.

5  – Precisão e Controle

Todos os passos que listamos acima fazem com que o corpo execute os movimentos de forma precisa e controlada. Por isso, o Pilates foca no corpo como um todo de forma controlada e consciente.

Compartilhar: