Quem deseja abrir um estúdio de Pilates, muito mais do que estudar a metodologia e se manter informado a respeito das novidades do mercado, também precisa ter uma visão de empreendedor e conhecer a parte jurídica do negócio.

Profissionalizar o seu estúdio é uma forma de fazer o negócio crescer e focar no futuro. Afinal, você precisa pensar em alguns detalhes, como entregar recibos de pagamento aos clientes, registrar funcionários e, até mesmo, apresentar o CNPJ para a compra de equipamentos em alguns casos.

Existem duas possibilidades para quem tem ou deseja abrir um estúdio de Pilates: a MEI (microempresa individual) ou a ME (microempresa).

A modalidade de MEI é muito vantajosa para quem está no começo. Com ela, não é preciso contratar um contador e você pode fazer todo o processo de formalização online. Além disso, o empreendedor paga apenas uma taxa de, aproximadamente, R$ 50 mensais referentes aos impostos.

Por outro lado, a MEI possui algumas limitações, como a impossibilidade de ter um sócio e um faturamento anual máximo de R$ 60 mil. Ainda vale ressaltar que o empreendedor dessa categoria pode contratar apenas um funcionário.

A ME é uma modalidade destinada aos negócios que faturam acima de R$ 60 mil e até R$ 3,6 milhões por ano. Ela permite que você possua um sócio e mais de um funcionário, no entanto, você vai precisar da ajuda de um contador tanto para a formalização quanto para o acompanhamento mensal da empresa.

Os impostos também são definidos de acordo com o faturamento da empresa e, além disso, você precisará pagar uma taxa por emissão de notas fiscais caso seja necessário

Compartilhar: