Não dá para falar de Pilates sem citar o Powerhouse. O termo, que tem relação com o centro de força do nosso corpo, é um dos conceitos básicos da metodologia e, para praticá-la de forma correta, é essencial explicar o que é o Powerhouse para os alunos.

O que é o Powerhouse?

De acordo com Joseph Pilates, o Powerhouse é o local de origem dos movimentos do corpo e, durante a prática dos exercícios, esses músculos precisam se manter contraídos.

O Powerhouse é composto pelos seguintes músculos:

  • Parede abdominal anterior e posterior;
  • Extensores do quadril;
  • Flexores do quadril;
  • Assoalho pélvico.

Por que ele é tão importante?

Joseph Pilates acreditava que esses músculos eram a fonte de energia para todo o nosso corpo e, uma vez ativados, conseguimos estabilizar o nosso tronco e realizar qualquer movimento em segurança, diminuindo as chances de lesões.

Exercícios para ativar o Powerhouse

O Teaser talvez seja o principal exercício em que o Powerhouse aparece como elemento central. Nele, o aluno precisa ficar em posição de um ‘V’ com as costas e pernas eretas em um ângulo de 45º.

Como esse exercício é bastante avançado e exige muita força e concentração, você pode começar com algumas analogias simples para que os alunos entendam quais são os músculos que precisam ser ativados durante a prática do Pilates.

Você pode, por exemplo, pedir para o aluno se deitar, fechar os olhos e, ao expirar, afundar o umbigo até todo o ar ser mandado para fora. Nesse momento, peça para ele imaginar que está fechando uma calça tão apertada que, se não encolher bastante a barriga, o zíper vai pegar em sua pele e machucar.

Para ativar o assoalho pélvico, a analogia pode ser mais fácil: peça para o aluno imaginar que está fazendo xixi, mas que precisou interromper o fluxo no meio.

No final, o que realmente importa é ficar atento aos alunos e demonstrar sempre como as posições devem ser praticadas até que o Powerhouse vire um elemento comum dos exercícios.

Compartilhar: